A ALIMENTAÇÃO E A DPOC


[espanhol] [portugués] [informação alfa-1] [boletim informativo] [donativos]

[informate] [grupos de apoio] [links] [deteção e registo] [ponto de encontro] [referencias] [list]

[temas de interesse] [novo] [contácta-nos]


 INFORMAÇÃO ALFA-1  

 

Uma boa alimentação e manter um peso saudável são parte importante da reabilitação nas pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). A boa alimentação incluie em selecionar alimentos saudáveis que ajudem a curar, reparar o corpo e aumentar as defesas, contra as doenças.

Deve incluir na sua alimentação uma variedade de alimentos de cada grupo alimenticio. Cada grupo alimenticio provê os nutrientes mais importantes. Os alimentos dum grupo não podem ser substituidos pelos de um outro grupo. Deve selecionar uma variedade de alimentos de cada grupo alimenticio e limitar a ingestão de doces ou açúcares. Comer saudávelmente pode ajudar-lhe a sentir-se melhor e a respirar melhor. Á continuação detalham-se os quatro grupos de alimentos:

As carnes, aves, peixe e produtos lácteos têm um alto conteúdo de proteínas e ajudam a manter a fortaleza muscular. Entre os alimentos ricos en proteína estão os ovos, a carne o peixe, as aves, o queijo, o leite e o yogur. O creme de amendoím ou mani, o tofú, (proteína vegetal originária de Oriente) as nozes e as sementes  também têm alto conteúdo de proteínas. Muitos destes alimentos têm alto conteúdo em gordura e podem contribuir a evitar a perda de peso.

As frutas, verduras e hortaliças são uma fonte de vitaminas e minerais, No entanto, algumas delas produzem gases que expandem o estômago e oprimem o diafragma. Se tem falta de ar (disneia), evite comer os alimentos que produzem gases: maçãs, bróculo, repolho ou couves de bruxelas, couve, milho, pepinos, legumes, melões, cebolas e pimentos.

Os pães, cereais, arroz e bolinhos doces são uma fonte de energia duradoura. Entre os mais saudáveis estão o pão integral, os bolinhos doces, as bolachas de soda, aveia, cereais, arroz integral e selvagem e as omeletes de milho.

Os alimentos com alto conteúdo de potássio incluiem suco de laranja, bananas ou plátanos, frutos secos, batatas, salmão e produtos lácteos. Se toma diuréticos, poderiam recomendar-lhe tomar uma quantidade maior destes alimentos ou bem tomar um suplemento diário de potássio. Estes alimentos repoêm o potássio que o seu organismo perde quando elimina muita quantidade de líquidos.

Assesssoramento em nutrição

Os pacientes com DPOC têm necessidades especiais de nutrientes pelo que devem consultar com o seu médico ou um especialista certificado em alimentação para ajudar-lhes a selecionar os alimentos da sua preferência e desenvolver um plano que lhes ajude a manter um peso adequado. Também lhes podem aconselhar sobre os alimentos que diminuiem a produção de bióxido de carbono; os que produzem gás; a quantidade de líquido que devem beber; o conteúdo de gordura que pode ou deve ingerir; sobre alimentos com alto conteúdo de potássio; e como baixar o conteúdo de sal para evitar a retenção de líquido, e os alimentos que podem ajudar a contra-arrestar os efeitos dos corticosteroides.

As pessoas com DPOC têm necessidades de alimentação específica, porque o seu corpo metaboliza os distintos nutrientes de forma distinta das pessoas normais. A DPOC produz uma quantidade inusual de bióxido de carbono no sangue. Isto pode ocasionar que o diafragma e outros músculos utilizados na respiração se debilitem, pelo que pode resultar em falho respiratório. A meta de um programa de alimentação para os pacientes com DPOC deve ser em manter um balanço entre os alimentos que diminuiem a produção de bióxido de carbono e a demanda pulmonar resultante. Enquanto as necessidades individuais podem variar, existem algumas guias comuns para todas as pessoas com DPOC:

  • Aumentar a ingestão de gorduras e diminuir a ingestão de carboidratos ajuda a diminuir a produção de bióxido de carbono, o que ajuda a diminuir a demanda nos pulmões.
  • Alcançar, mas não exceder as calorias necessárias. Ingerir menos das calorias necessárias, aumenta a demanda dos pulmões. Um excesso de calorias ocasiona um efeito similar ao aumentar a produção de bióxido de carbono.
  • Evitar o excesso de proteínas. Um excesso de proteínas também pode aumentar a produção de bióxido de carbono e reduzir o suministro de oxigênio nos pulmões.
  • Evitar a ingestão excessiva de líquidos. Um excesso de líquido no corpo aumenta a carga nos pulmões ao aumentar a pressão e os vasos sanguineos dos pulmões.
  • Manter niveis adequados de fósforo. Niveis muito baixos de fósforo podem ocasionar falho respiratório. Seu médico, deve valorar o seu nivel de fósforo e recomendar suplementos se for necessário. Algumas fontes de fósforo são os produtos lácteos, carnes magras, peixe, grãos, ervilhas, cereais inteiros e noze.

Que alimentos ajudam a diminuir a produção de bióxido de carbono?

Os alimentos podem ser classificados segundo o seu quociente respiratório (QR). O QR mede a quantidade de bióxido de carbono produzido em comparação com a quantidade de oxigênio consumido, quando certos alimentos são metabolizados pelo corpo.

QR = Quantidade de bióxido de carbono produzido ÷ quantidade de oxigênio consumido

Quanto mais baixo seja o QR, menor será a quantidade de bióxido de carbono produzido. Devido a que a meta dum programa de alimentação para os pacientes com DPOC é reduzir a quantidade de bióxido de carbono no sangue, é importante ingerir alimentos com um QR baixo. O QR dos três tipos de nutrientes mais importante é:

carboidratos

1.0

proteína

0.8

gorduras

0.7

Isto quer dizer que para uma certa quantidade de oxigênio consumido, as gorduras produzem a menor quantidade de bióxido de carbono e os carboidratos produzem a quantidade maior.

Que tipo de dieta é melhor para as pessoas com DPOC?

Geralmente, uma dieta que seja um pouco mais alta em gorduras e mais baixa em carboidratos é melhor para a maioria das pessoas com DPOC. No entanto, é importante ingerir só a quantidade de calorias que o corpo necessita para manter um peso adequado. A obesidade faz que os pulmões tenham que esforçar-se mais. É recomendável  obter assessoria de um médico ou um especialista certificado em nutrição, quem lhe ajudará a determinar qual é o melhor plano de alimentação para você.

Devo considerar os suplementos nutritivos?

Existem fórmulas ou suplementos nutritivos desenhados específicamente para pessoas com DPOC. Estes podem ser beneficiosos para alcançar um balanço ótimo de nutrientes. Fale-lhe  ao seu médico ou especialista em nutrição para determinar se você pode beneficiar-se destes nutrientes.

Como descer de peso?

Algumas pessoas com DPOC têm dificuldade para descer de peso. Um excesso de peso corporal, especialmente á volta do ventre, pode aumentar a falta de ar. O estar excesso de peso também lhe põe em maior risco de padecer doença coronária, diabétes e alta pressão.

Para descer de peso numa forma certa e saudável, é recomendável adotar um plano que incluia alimentos de todos os grupos. Evite dietas que não provêam para uma dieta equilibrada. Também é recomendável descer de peso gradualmente – um pro-meio de 225gr a 900gr semanais. Uma diminuição rápida no peso é o resultado duma redução em músculo ou líquido corporal, em vez de gordura.

Em ter um registo dos alimentos que ingere diáriamente pode ajudar-lhe a melhorar a qualidade dos alimentos que consome, ademais de ajustar a quantidade.

Uma diminuição saudável de peso lhe ajudará a diminuir a falta de ar (disneia), diminuir o risco de refluxo e melhorará seu estado geral de saúde e nivel de energia.

Como ganhar peso?

Algumas pessoas com DPOC estão baixo-peso porque o esforço que realizam para respirar consome energias adicionais. Se está baixo-peso poderia necessitar realizar um maior esforço para manter um peso saudável. Ter um peso saudável é vital para panter seus músculos e o seu sistema inmunológico fortalecido de forma que possa combater as infecções.

Quando o corpo esgota as reservas de energia (glicose) depositadas em forma de gordura, obtem-as do tecido corporal e dos músculos. Isto ocasiona perda de peso, fraqueza, falta de energia e aumento na falta de ar por causa da diminuição na massa múscular tão necessária para realizar as tarefas diárias.

Como reverter uma redução de peso?

Deve ingerir comidas pequenas e lanches através do transcurso do dia. Diminuir as porções de comidas é importante devido a que quando se ingerem grandes quantidades de alimento o diafragma sobrecarga-se, o que ocasiona falta de ar e incomodidade. A falta de apetite ou o sentir-se cansado(a) também ocasionam que coma menos do normal. O ingerir lanches é vital para substituir as calorias perdidas.

Para aumentar a ingestão de calorias:

  • Una á sua dieta gorduras e azeites não saturados (azeite de oliva e canola, margarina). Isto permite que consuma mais calorias sem ter que ingerir maior quantidade de alimentos.

  • Selecione bebidas altas em calorias sem cafeína nem álcool, como sumos de frutas, leite de soja e suplementos nutricionais. A água, as bebida carbonatadas, o chá e o café dar-lhe-ão uma sensação de que está cheio, mas não lhe aportarão as calorias adicionais que necessita.

  • As nozes, as sementes e a manteiga de amendoím (maní) são uma fonte excelente de proteínas e gorduras concentradas.

Se come pouco porque tem falta de ar durante as comidas ou entre elas, siga as seguintes recomendações:

  • Ingere menos menos comida, com maior frequência, para que o estômago não se encha e os pulmões tenham mais espaço para expander-se.

  • Descongestione as vias respiratórias pelo menos uma hora antes de cada comida.

  • Mastigue devagar com a boca fechada para evitar engolir ar.

Os estiroides e a dieta

A terapia farmacológica com estiroides (corticosteroides) tem a potência de interferir com a maneira em que o corpo utiliza alguns nutrientes, como o calcio, o potássio, o sódio, a proteína e as vitaminas D e C. O ingerir uma dieta equilibrada pode ajudar a contra-arrestar alguns dos efeitos dos esteroides.

O uso prolongado de corticosteroides ocasiona risco incrementado de padecer osteoporóses (perda de calcio nos ossos). Pelo tanto, é muito importante comer alimentos ricos em calcio. Para prevenir outros efeitos segundários, limite o uso do sal e dos alimentos altos em sódio, e diminuia a quantidade de colesterol e gordura saturada. Alguns suplementos, como o calcio e as tivitaminas múltiplas podem ajudar.

boton_inicio_pagina.jpg (2243 bytes)


Última revisión en 05/06/2012


[espanhol] [portugués] [informação alfa-1] 

[boletim informativo] [donativos] [informate] [grupos de apoio] [links]

[deteção e registo] [ponto de encontro] [referencias] [site] [temas de interesse]

 [novo] [contácta-nos]


A informação apresentada na página web não deve ser um substituto da recomendação

 ou tratamento médico. A Fundação recomenda que consulte com

 o seu médico ou profissional da saúde. 

Traduzido por: Amadeu José Ferreira Monteiro

Tel. (34) 933-574-724

E-mail: amadeujfmonteiro@hotmail.com


Esta página é administrada pela Fundação Alfa-1 de Porto Rico.

Fundação Alfa-1 de Porto Rico

PMB 318, 2000 Carr. 8177, Suite 26

Guaynabo, Puerto Rico (USA) 00966-3762

Tel. 787-647-7073

E-mail: info@alfa1.org